8 de fevereiro de 2010

Software Livre ou Proprietário?

Em 2007, assumi no I. E. E. Cristóvão de Mendoza para trabalhar com alunas do Curso Normal 3º ano em Caxias do Sul. Estava concluindo o Curso de especialização em TICs na Promoção da Aprendizagem na UFRS. Lá conheci a Metodologia de trabalhar com projetos de Aprendizagem , uma metodologia embasada no construtivismo. Na escola, há um LIE que até a minha chegada tinha sido usado muito esporadicamente. O laboratório era composto por 10 computadores com acesso a Internet e software livre.
Inicei o meu trabalho com as alunas nesse ambiente, minhas aulas foram e são todas nesse espaço. Na metodologia a construção feita pelas alunas é publicada em sites. No início de 2007, utilizamos PBwiki que, agora chama-se PBworks. Eu não sabia que enfrentaria uma grande dificuldade, dificuldade essa que quase me levou a desistir do trabalho. Como o software do computador era tremendamente difícil salvar uma página , havia dias que somente um grupo conseguia, muitas alunas perdiam tudo. O desânimo era grande. Mas fomos indo, solicitamos à direção da escola que colocasse nas máquinas um software proprietário e tudo mudou, com as mesmas máquinas, os trabalhos começaram a se desenvolver e, hoje, contamos com mais de 90 projetos construídos, com diversos temas, temas esses escolhidos pelas alunas. Estão no endereço: Projetos de Aprendizagem

Uma síntese do meu trabalho está em : Resumo do Trabalho

Hoje, as máquinas estão com Dual Boot, dois sistemas operacionais, o que nos dá uma oportunidade maior de construção, alunos que já possuem uma estrutura para tanto poderão usar com propriedade os dois sistemas. Considerando também que a grande maioria dos professores não “sabem” ou não “querem” trabalhar com nenhum dos sistemas, usar as tecnologias digitais no LIE com seus alunos, tanto para projetos que envolvem pouco conhecimento em informática quanto pior para colaborar com o desenvolvimento do software.
"Trazer" os professores para atuarem com tecnologias digitais sendo o software livre ou proprietário como forma de qualificar a aprendizagem de nossos alunos, parece-me o maior desafio.

4 comentários:

guilhermeeh disse...

Olá Terezinha Bernardete. Belo trabalho. Acho importante ter o dual boot e aprender em softwares livres e proprietários pois o mercado de trabalho não faz esta distinção. Para nossos alunos, quanto maior a diversidade de tecnologias abordadas, melhor.
Um abração

Marli disse...

Oi Bernardete! Que interessante! Vim visitar o teu blog e achei justamente o assunto que estava discutindo no meu blog nos comentários da última postagem. Está assinado embaixo. Passa lá pra contribuir com a discussão!Vou te escrever em pvt pra tratar de outro assunto. BJ!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

Penso que o objetivo final de cada projeto é o aprendizado do aluno.
Um soft proprietário é fruto de alguém que o imaginou, desenvolveu, e independente se é rico ou não, deve receber por ele.
Cabe ao professor observar se este investimento vale a pena, observando o retorno por parte do aprendizado do aluno, que no meu entender, no caso de seus alunos, os objetivos foram plenamente atingidos.

Que os sonhos te acompanhem sempre.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

Penso que o objetivo final de cada projeto é o aprendizado do aluno.
Um soft proprietário é fruto de alguém que o imaginou, desenvolveu, e independente se é rico ou não, deve receber por ele.
Cabe ao professor observar se este investimento vale a pena, observando o retorno por parte do aprendizado do aluno, que no meu entender, no caso de seus alunos, os objetivos foram plenamente atingidos.

Que os sonhos te acompanhem sempre.